Notícias

16/07/2021 - Outros

Caso da deriva do 2,4-D no RS pode render multa de mais de R$ 21 milhões à empresa


O Ministério Público Estadual e a Procuradoria Geral do Rio Grande do Sul entraram neste mês com uma ação civil pública de responsabilidade contra a indústria de defensivos agrícolas Adama por danos provocados pela deriva de herbicidas hormonais com princípio ativo 2,4-D nas lavouras de uvas, maçãs, azeitonas, ameixas, pêssegos e outras culturas sensíveis.

A Adama foi a única das 17 empresas que comercializam produtos com o 2,4-D no Estado que não fez acordo para a mitigação dos danos proposto pelo MP. O agrotóxico é usado pelos produtores para eliminar a planta invasora buva, de grande resistência, no preparo para o plantio da soja.

A má aplicação do produto gera uma deriva, que, dependendo do vento, pode viajar por vários quilômetros. Ao atingir as lavouras sensíveis, o 2,4-D mata as plantas novas e atrofia as adultas, provocando prejuízos drásticos na produção daquele ano e nos seguintes.

A ação impetrada no dia 5 de julho e distribuída para a 3ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, pede que a empresa seja condenada a pagar uma multa de R$ 21,77 milhões pelo risco da atividade e por possíveis danos à saúde pública.

Mais informações AQUI

Por Eliane Silva
Fonte: Globo Rural




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.