Notícias

06/08/2021 - Soja

China x Delta: Mercados ainda vão sentir impactos, mas demanda por soja segue forte


Os novos surtos de Covid-19 que têm sido registrados na China, principalmente motivados pela variante delta, colocam mais um sinal de alerta sobre os mercados. Mais medidas de restrição estão colocando milhares de pessoas em isolamento social, o que poderia provocar impactos em diversas frentes da economia chinesa. 

"Em 2020, tivemos um lockdown bastante severo, desta vez não tão severo, mas com medidas que a China sabe tomar, toma de uma vez e tenta resolver tudo rapidamente. E isso traz impactos de curto e médio prazo. No ano passado, um impacto de curto prazo foi o menor consumo de alimentos, as pessoas comem menos fora de casa", explica Eduardo Vanin, analista de mercado da Agrinvest Commodities. 

Um exemplo disso é aceleração dos abates de suínos, com os produtores tentando agilizar suas etapas e temendo problemas logísticos mais a frente, o que já pressiona ainda mais os preços da carne suína no país. E assim, o peso chega também para o farelo de soja, já que as margens do suinocultores estão ruins, bem como as das processadoras de soja. 

Já no médio prazo, o alerta de Vanin é para o quadro inlfacionário. As vendas de farelo de soja saltaram de menos de 100 mil toneladas diárias nos últimos dias para mais de 500 mil em todos estes primeiros cinco dias de agosto. 

"Da mesma forma, as indústrias de ração, com medo de ficar sem produto, estão comprando mais para compor estoques de farelo. Então, há impactos ruins, mas bons também. O preço do farelo se firma e com as indústrias na China vendendo mais farelo terão que  repor isso com soja importada, tanto para 2021, como para 2022", explica o analista. 

BRASIL X EUA
A China ainda concentra suas compras no mercado brasileiro, que se mostra mais competitivo, pelo menos, até outubro, quando aí sim começa a olhar para a soja norte-americana. Somente nesta semana a nação asiática teria comprado 12 navios de produto nacional com embarque até setembro, e voltado a comprar nos EUA para embarques a partir de outubro. 

E para estar adequadamente abastecida, até o final de janeiro 2022 a China ainda precisa comprar 25 milhões de toneladas. 

COMPORTAMENTO DOS MERCADOS
Ainda de acordo com o analista, as commodities terão comportamentos diferentes diante das notícias que começam a chegar dos países onde novos surtos estao sendo registrados. E o principal diferencial deste ano é uma parcela grande da população mundial já vacinada com a primeira dose contra a Covid-19. 

Mais informações AQUI

Por Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.