Notícias

10/12/2020 - Mercado

Comércio agrícola global permanece bastante estável, mas incerto devido à pandemia


Entre uma pandemia global e um clima politicamente turbulento, as indústrias pecuárias olharam ansiosamente para as políticas e o comércio internacionais.

Agora que 2020 está quase chegando ao fim, especialistas em política, comércio e economia podem avaliar tendências e oferecer uma perspectiva futura, escreve Jaclyn Krymowski.

Como parte da Conferência Virtual sobre Políticas e Perspectivas de Agricultura promovida pela The Ohio State University College of Food, Agriculture and Environmental Sciences, Ian Sheldon, professor e presidente do Andersons Chair of Agricultural Marketing, Trade and Policy do estado de Ohio, abordou algumas dessas preocupações.

Visão Geral de 2020
Em abril de 2020, a Organização Mundial do Comércio (OMC) estimou que o comércio global seria impactado entre 13% a 32% devido à pandemia. Felizmente, nenhum desses foi o caso. A previsão atual da OMC é de que o declínio total do comércio global em 2020 seja de apenas 9,2%, com um aumento previsto para o próximo ano.

Sem a pandemia, os economistas esperavam que o comércio continuasse consistente em seu constante aumento. Felizmente, o maior impacto da pandemia aconteceu quase imediatamente, de março a maio, e então começou uma lenta recuperação.

“Ainda há uma incerteza considerável sobre a trajetória do comércio para o resto de 2020 e em 2021”, explicou Sheldon. “Especialmente agora, estamos observando um ressurgimento do COVID-19 aqui na América do Norte e na Europa.”

Atualmente, a OMC estima que o comércio recupere 7,2% em 2021, permitindo variações nas exportações e importações de várias nações. Por exemplo, as importações da América do Norte tiveram um declínio de 8,7% este ano, mas devem se recuperar em 6,7% em 2021.

Impacto do governo
Os governos mundiais desempenham um papel fundamental em como o comércio global continuará a funcionar no futuro. Os bloqueios em curso podem ter um impacto negativo significativo no produto interno bruto (PIB) à medida que 2021 se aproxima.

“É muito importante perceber que a política macroeconômica aqui nos EUA, na União Europeia e em outros lugares é muito crítica para mitigar o impacto da pandemia, tanto no comércio quanto nas mudanças no PIB”, disse Sheldon. “A política comercial será crítica à medida que sairmos do outro lado da pandemia.”

Outro fator nas mãos do governo é como os fundos serão gastos. Os gastos com política externa e taxas de desemprego por si só poderiam reduzir o comércio em até 4%.

O lançamento de uma vacina será outro grande fator no comércio global. Simplesmente aumentando a confiança, isso poderia aumentar o crescimento do PIB em 1% a 2% e o comércio global em 3% em 2021, de acordo com Sheldon.

Um impacto inesperado pode vir do advento da tecnologia de webinar. Isso poderia ser um avanço positivo, criando um sistema de comércio global mais conectado.

Futuro
No início do ano, a OMC e a Organização das Nações Unidas Agricultura e Alimentação (FAO) expressaram preocupação com um impacto negativo no comércio agrícola internacional devido às restrições à exportação e estoques. Felizmente, ambos os cenários aconteceram muito rapidamente. Na verdade, o comércio agrícola provou ser resistente, com as exportações globais aumentando 2%.

“A comida é essencial para os humanos”, disse Sheldon ao explicar esses números. “Economistas falam sobre a demanda por alimentos como relativamente inelástica em termos de renda.”

Embora a pandemia já tenha intensificado a pressão baixista sobre os preços dos alimentos, não há evidências que sugiram que ela criará uma crise de segurança alimentar. Globalmente, parece haver alimentos suficientes disponíveis, apesar de mais famílias empurradas para a insegurança alimentar em certas regiões devido a vários fatores.

No geral, a previsão do comércio global parece muito positiva, tanto este ano quanto para 2021.

“Os dados mensais mostram que a variação das exportações e importações não foi tão diferente de 2019”, disse Sheldon.

Certos alvos comerciais entre nações e regiões caíram. Por exemplo, o acordo comercial da Fase Um dos EUA com a China está 35% abaixo de sua meta cumulativa. Sheldon disse que ainda há uma meta otimista para o crescimento das importações da China.

Com a entrada do governo Biden nos EUA, Sheldon espera que a coalizão com parceiros como a UE e o Japão continue definindo regras comerciais para a China semelhantes às do governo Trump. As diferenças podem ser mais suporte para reformas nas regras da OMC.

“Em termos de tarifas, acho que é mais provável que vejamos um uso mais direcionado de tarifas com um foco específico onde haja violação das regras comerciais por nossos parceiros comerciais”, disse ele, destacando ainda um impulso para acabar com as tarifas da UE sobre o aço.

No geral, Sheldon e muitos especialistas estão otimistas com o avanço do comércio.

Por TheCattleSite, traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint
Fonte: BeefPoint - http://tempuri.org/tempuri.html




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.