Notícias

18/11/2021 - Outros

Cultura perene deve ser afetada por alto preço de nitrogenados


As culturas perenes tendem a ser as mais afetadas pelos preços elevados dos nitrogenados e eventual novo aumento das cotações após restrições russas nas exportações. A avaliação é do gerente da Consultoria Agro do Itaú BBA, Guilherme Bellotti. "O maior impacto deve ser para as lavouras de café, cana-de-açúcar, café e laranja (citrus), que fazem adubação principalmente no início do ano e tem maior janela de manejo nutricional, além das aplicações de manejo. Estas culturas devem sentir aumentos de custo de aquisição dos adubos", disse Bellotti, em entrevista exclusiva ao Broadcast Agro.

No médio prazo, preços firmes devem ser vistos também para os insumos para a safra de grãos 2022/23, plantada a partir de setembro do ano que vem. Para Bellotti, a safra de grãos 2021/22 tende a não sofrer os impactos de uma nova sustentação dos preços desses macronutrientes. Isso porque o maior volume adquirido para a safra de verão já foi entregue aos agricultores, enquanto para a safrinha de milho a maior parte do volume a ser aplicado nas lavouras já foi comprado. "Obviamente quem deixou para comprar adubo de última hora para safrinha também vai enfrentar preços mais altos, o que se refletirá no custo de produção", apontou.

O governo russo limitou as vendas externas de fertilizantes nitrogenados e formulações complexas com nitrogenados (que seriam os ativos fosfatados) em volumes estabelecidos por cotas por seis meses, a fim de evitar escassez no mercado interno. Para os nitrogenados, os embarques ficarão restritos a 5,9 milhões de toneladas e para adubos complexos contendo nitrogênio a 5,35 milhões de toneladas por seis meses. A medida é válida a partir de 1º de dezembro. A Rússia é o segundo maior exportador mundial de nitrogenados e terceiro maior exportador global de fosfatados e potássicos, contribuindo com 16% dos adubos exportados no mundo. É também o maior fornecedor de nitrogenados para o Brasil, contribuindo com 21% do volume importado pelo País.

Na avaliação de Bellotti, as restrições russas, anunciadas na semana passada, tendem a fornecer um suporte para os preços já elevados dos adubos nitrogenados e fosfatados no mercado internacional. "É um novo fator para a sustentação da alta destes ativos. Se as cotações não subirem pelas restrições, pelo menos ficarão sustentadas nos patamares atuais, já que subiram de maneira significativa desde o final do ano passado", analisou. Para Bellotti, uma nova alta tende a ser limitada pela corrosão do poder de compra dos agricultores. "Há um teto para que aumentos muito adicionais ocorram. Estão limitados pela relação de troca entre adubo e commodity, que piorou muito neste ano", pontuou.

continue lendo AQUI

Por Isadora Duarte
Fonte: Broadcast Agro




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.