Notícias

24/02/2021 - Outros

MT: sementes e arrendamento encarecem muito e elevam custo da soja em 21/22


O custo de produção da soja transgênica em Mato Grosso para a safra 2021/2022, considerando também as depreciações e a mão de obra familiar, está quase 8% mais elevado que a safra que está sendo colhida, a 2020/2021. O levantamento do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea) também mostra que o maior vilão foi a semente que encareceu 13% de um ano para o outro e o arrendamento de subiu 44%.

Se por um lado os produtores conseguiram uma rentabilidade um pouquinho melhor na safra 2020/2021, por outro terão que gastar mais para implantar a nova safra de soja em setembro. Segundo o Imea o custo por hectare para a implantação da soja, considerando todos os gastos com depreciação de máquinas e artigos, assim como a mão de obra familiar que normalmente não é paga, ficou em R$ 3,921 mil, considerando uma produtividade média de 60,6 sacas por hectare.

Na safra 2020/2021, que está sendo colhida, o custo total ficou em torno de R$ 3,634 mil por hectare, com uma produtividade média de 62,5 sacas por hectare.

Se retirarmos da conta as depreciações e mão de obra familiar, ou seja, considerar só os gastos visíveis como arrendamento, combustível e insumos, o custo para implantar um hectare de soja em Mato Grosso está na casa dos R$ 3,636 mil, ou seja, 8,4% mais alto que os R$ 3,347 mil gastos em 2020/2021.

Vilão da safra
Entre todos os ítens que compõem os custos, as sementes (de soja e cobertura) são as que mais encareceram de uma safra para outra. Em 21/22 o produtor terá que desembolsar R$ 391,51 por hectare com o insumo, 12,46% a mais que os R$ 348,14 gastos na safra passada. Só a semente de soja custará R$ 367,13 por hectare, contra os R$ 326,08 gastos em 20/21.

Os herbicidas aparecem na segunda posição entre os itens que mais encareceram. E o produtor de soja terá que gastar R$ 208,61 por hectare com o insumo, 11,6% mais caro que os R$ 186,93 da safra passada.

Os fungicidas também ficaram 11% mais caros para a próxima safra, custando R$ 348,54 por hectare, conta os 314,08 por hectare de 20/21.

Um item que encareceu bastante para esta safra foi o valor do arrendamento. Agora está próximo a R$ 245,45 por hectare, 44,1% mais elevado que os R$ 170,32 gastos em 20/21.

Quem aliviou
De maneira geral, entre os insumos somente os corretivos de solo baratearam. Custando R$ 65,34 por hectare em 21/22, queda de 1,6% ante os R$ 66,40 da 20/21.

Já os gastos com Funrural ficaram 27,1% mais em conta em 21/22. Agora valem R$ 17,77 por hectare, contra os R$ 24,4 da safra 20/21.

A mão de obra é outro item que ficou mais barato para o produtor. Em torno de R$ 99,76 por hectare, 24,8% a menos que os R$ 132,64 por hectare da safra que está sendo colhida.

Por Daniel Popov
Fonte: Canal Rural - http://tempuri.org/tempuri.html




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.