Notícias

28/09/2021 - Milho

Quebra da safra brasileira e isenção de PIS/Cofins impulsionam importação


A quebra da safra brasileira de milho, somada à retirada da alíquota de PIS/Cofins para importação do cereal, impulsionou a importação de milho pelo Brasil, avalia o Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea). Em boletim semanal, o Imea destaca que, no acumulado de janeiro a agosto deste ano, o País importou 1,22 milhão de toneladas do cereal do mercado externo ante 580 mil toneladas adquiridas do exterior em igual período do ano passado. "(Foi o) segundo maior volume da série histórica da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) para o período (primeiro e segundo quadrimestres do ano)", destacou o Imea.

Na avaliação do Imea, o volume importado pelo País no último quadrimestre do ano (setembro a dezembro) tende a ser ainda maior, de acordo com as médias históricas. "O País caminha para níveis recordes de importações, podendo atingir 2 milhões de toneladas", prevê o instituto.

Neste ano, o Paraguai foi o principal fornecedor de milho do Brasil, representando 71,92% das importações brasileiras até agosto - cerca de 882 mil toneladas, de acordo com dados compilados pelo Imea. O instituto atribui a participação majoritária paraguaia ao menor custo logístico diante da proximidade.

O Imea também ressaltou que Mato Grosso, maior produtor nacional do cereal, registrou a entrada de 8 toneladas de milho no acumulado até agosto. "Valor considerado pequeno quando comparado à produção estadual. No entanto, o número chama a atenção por ser a primeira compra do estado após quatro anos sem aquisições de milho originados de outros países, sendo pautado, pelo preço no exterior estar 2,77% abaixo do registrado em MT no período", observou o Imea.

Por Isadora Duarte
Fonte: Broadcast Agro




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.