Notícias

14/10/2020 - Soja

Vendas da nova safra de soja de MT atingem 60,4% do esperado; milho avança para 21/22


A comercialização da safra de soja 2020/21 de Mato Grosso, cujo plantio está atrasado por falta de chuvas, avançou para 60,4% do total esperado até o final de setembro, aumento de 4,49 pontos percentuais ante o mês anterior, informou o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) ontem (13/10).

Com preços e câmbio favoráveis, as vendas no principal Estado produtor do país superam com folga o percentual de negócios para a nova temporada geralmente realizado nesta época do ano, de 33,4% na média histórica, conforme dados do Imea.

Além disso, produtores estão adiantados em fechamentos de vendas para a safra futura, tanto de soja quanto de milho.

O instituto apontou avanço da comercialização da oleaginosa 2021/22 de Mato Grosso, que será plantada somente em setembro do ano que vem, para 6,21% da safra esperada, ante 3,58% no mês anterior.

Para o milho 2021/22, foi reportado o primeiro percentual significativo de vendas, com 2,03% da produção esperada, ante 0,13% no mês passado.

Tais percentuais em antecipação de negócios são inéditos para esta época, uma vez que essas transações começam a ocorrer mais tarde-- geralmente em dezembro para a soja, segundo a média dos últimos cinco anos. No milho, as vendas historicamente começariam somente em fevereiro do ano que vem.

Para a safra 2020/21 de milho, a comercialização atingiu 54,69%, ante 50,92% no mês anterior. O milho de Mato Grosso será plantado majoritariamente após a colheita da soja e já corre risco de ter a produtividade afetada pelo forte atraso no plantio da oleaginosa, em meio à atual seca.

Já as vendas do cereal cultivado em 2019/20, que já foi colhido, atingiram 95,17%, avançando em relação aos 92,94% vistos no mês anterior.

No mercado de algodão, a comercialização da safra 2019/20 chegou a 82,02% em Mato Grosso ante 80,61% no mês anterior, enquanto as vendas da nova temporada avançaram para 43,9%, ante 38,1% no mês passado.

Assim como no caso do milho, o algodão é cultivado no Estado principalmente na segunda safra e pode ter a área reduzida em função da lentidão nos trabalhos de plantio da soja.

Vale destacar que a pluma já teria uma parcela da área de plantio 2020/21 abdicada, para dar lugar ao milho “safrinha”, depois de ter sido uma das culturas mais afetadas pelos impactos do coronavírus neste ano.

Por Nayara Figueiredo
Fonte: Reuters - http://tempuri.org/tempuri.html




Mantenha-se atualizado com o Agro KLFF

Cadastre-se e recebe diariamente as novidades do mercado

2016 Portal KLFF. Todos os direitos reservados.

Termos de uso. Política de privacidade.